Como Funcionam os Fundos de DI?

Sendo umas das aplicações financeiras mais comuns do país, você verá como é importante conhecer como funcionam os fundos de DI.

Econommia

Mercado Financeiro

Publicado em

Fundos de DI

O que são Fundos DI?

Esse com certeza é um dos mais comuns dos brasileiros, oferecido como uma alternativa melhor que a poupança. Por isso, se tornou um dos principais investimentos.

O investimento aqui é possível quando mais de 80% do capital é aplicado, usado muitas vezes como fundo de emergência. Os cálculos são obtidos a partir de algumas variações, como taxas de juros, preço de mercado ou ambos.

Os fundos de DI, acompanham todo o processo do CDI ou Certificados de Depósito Interbancário.

CDI é uma média de valor que os bancos cobraram de um dinheiro emprestado para outros bancos em um prazo curto. Todo esse processo passa nela bolsa de valores, B3, que calcula tudo.

Para que esse processo de juros seja mantido, os fundos de DI correm atrás de títulos de renda fixa. Eles são de antemão fixados, junto ao CDI ou Selic para ser observado o andamento dos juros.

O DI não está preso a uma categoria apenas, mas a uma variedade, onde pode haver aplicações diversas. Podemos ter mais de 90% do capital investido, aplicado em títulos públicos federais, por exemplo.

Como funcionam os Fundos DI?

Para se ter um bom investimento financeiro é importante que saiba todo o processo da aplicação. Isso envolve rentabilidade, liquidez, custos, tributação.

Rentabilidade: é creditada diariamente, porque é feito cálculo diário, que pode ser sacado. Ao contrário da poupança feita mensalmente.

O cálculo é feito acompanhando os indicadores do CDI, como uma conta é feita sobre o ganho, o valor sempre estará abaixo da referência.

Liquidez: uma coisa boa dos fundos DI é que pode ser resgatado o dinheiro diariamente sem ser prejudicado. O pagamento é feito um dia útil do prazo combinado, então, antes de ser estabelecido, averiguar quando eles fazem as contas para saber o dia útil que será pago.

Fundos DI não têm prazo de carência, isso quer dizer não haver algum período mínimo para a solicitação do resgate.

Custos. O custo será cobrado devido aos gestores dos fundos DI, devido a todo o processo de administração da carteira.

Todo o custo deve ser considerado na escolha da carteira, porque terá um impacto sobre o lucro. Quanto mais caro for, menos retorno financeiro.

Tributação: embora ninguém gosta de pagar imposto, ele aparece aqui e em quase todo tipo de ação financeira.

Esse processo ocorre de duas formas, IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e o Imposto de Renda.

O IOF é cobrado em resgates feitos antes de 30 dias. O IR é cobrado conforme o lucro obtido. Quanto maior for o tempo que o dinheiro fica investido, menor o tributo.

Conclusão

Saber como funcionam os fundos DI é muito importante para quem deseja fazer algo pisando no chão. Assim, as chances de um investimento mais bem-sucedido será maior.

Essas e outras dicas financeiras têm nesse blog, cada uma delas se associa na outra. Continue acessando. Se tiver dúvida, pergunte.


COMPARTILHE

Resumo do Mercado